11 desafios das micro e pequenas empresas e como vencê-los

Quando falamos dos desafios das micro e pequenas empresas (MPEs) é necessário compreender que essas MPEs têm grande importância para a economia brasileira. Hoje, elas correspondem a 27% do PIB do Brasil e por isso merecem tanta atenção e destaque. 

O que são micro e pequenas empresas?

Para compreender os principais desafios das micro e pequenas, o primeiro passo é entender como diferenciar uma da outra. A seguir você descobre como: 

  • Micro empresa: é aquela empresa que tem um faturamento anual de no máximo R$360 mil ou emprega até 9 pessoas, quando atua com comércio e serviços, ou 19 pessoas no setor industrial. 
  • Pequena empresa: é quando a empresa fatura anualmente até R$4,8 milhões por ano ou emprega de 10 a 49 pessoas nos setores de comércio e serviços ou de 20 a 99 pessoas na área industrial.

Quais os desafios das micro e pequenas empresas?

Agora que você já atendeu a diferença entre micro e pequenas empresas e suas especificidades, já pode entender quais são os desafios que tornam a tarefa de empreender no Brasil mais delicada. 

1. Apoio financeiro

A maior parte dos microempresários brasileiros abriu o negócio por necessidade. Muitos perderam o emprego ou não encontraram ofertas de trabalho na sua área de formação, por exemplo. 

Então a possibilidade de abrir o próprio negócio surge, mas o primeiro obstáculo que acaba aparecendo é a falta de apoio financeiro do governo ou a burocracia para conseguir crédito com bancos e instituições financeiras. 

Uma pesquisa realizada pelo SEBRAE-RJ em 2021, aponta que 61% das solicitações feitas pelas micro e pequenas empresas cariocas foram negadas em 2020; 27% conseguiram o crédito; e 12% ainda estavam esperando pela resposta em 2021. 

Esse fator muitas vezes desanima os empreendedores que desistem no primeiro ano do negócio. Com exceção de pessoas que possuem capital próprio para investir na abertura da empresa. 

2. Burocracia excessiva

A burocracia envolvendo pequenos e médios negócios começa logo quando o empreendedor decide abrir a empresa. Isso é o que uma pesquisa realizada pelo Banco Mundial aponta, que o Brasil ocupa a 124 º posição no ranking Doing Business, que mede o nível de facilidade para fechar negócios em um país. 

Sem falar, que apenas para cumprir as etapas burocráticas previstas pela lei, o empresário leva até 60 dias para conseguir autorização para abrir uma empresa. Esses são só alguns exemplos da burocracia que envolve as MPEs, que também lidam com outros desafios diariamente. 

3. Carga tributária

No Brasil, a alta carga tributária empresarial  é o principal motivo do não crescimento das pequenas e médias empresas, mas não é o único. O regime tributário da empresa é que vai determinar os impostos a serem cobrados. 

Nos casos das pequenas e médias empresas, que são enquadradas no Simples Nacional, a alíquota de arrecadação varia entre 16% e 22%. O que é um número significativo para uma empresa de pequeno porte e muitas vezes desanimador. 

4. Conquistar novos clientes

A conquista de clientes é um dos fatores que mais preocupam os empresários. Muitas pessoas abrem negócios em áreas em que a concorrência é mais forte e não sabem como entrar no mercado de maneira estratégica para consolidar a marca e captar clientes fixos e recorrentes. 

Pensando nisso, entender o mercado e saber como se diferenciar na área de atuação da empresa é muito importante. Mesmo com a correria da vida de empresário esse estudo de mercado é realmente necessário. 

5. Gestão Orçamentária

A gestão orçamentária é um processo que faz parte da realização de uma boa gestão financeira, ou seja, o empresário precisa separar e dedicar um tempo para focar nela, mesmo sendo uma tarefa considerada burocrática. 

Outro problema é que muitos empreendedores não sabem o significado de gestão orçamentária, que é ter uma previsão de onde ocorrerão e de quanto serão os gastos da empresa. 

Sem falar que outro ponto importante de compreender é que tudo isso começa no planejamento financeiro, já que basicamente, o planejamento financeiro serve para antecipar quanto serão os custos e despesas essenciais para a operação da empresa.

6. Gestão de Pessoas

Grande parte dos pequenos e médios empresários começam a empreender por necessidade, como comentado anteriormente, isso significa que eles não fizeram um curso ou se capacitaram para gerir pessoas, desafio que muitos deles precisam lidar quando contratam alguém. 

Essa tarefa não é fácil e pode ser muito estressante, o que desanima muitos deles ou cria situações de conflito entre patrões e funcionários. O que é diferente quando existe uma pessoa capacitada para o desenvolvimento e gestão de pessoas. 

7. Implementar novas ferramentas e tecnologias

Pode parecer brincadeira, mas muitos empresários são resistentes a implementar tecnologias dentro das empresas. Isso dificulta a execução de atividades que seriam simples e mais estratégicas se não fossem feitas de maneira manual e operacional. 

Esse é o caso de quem usa planilhas para cuidar do financeiro da empresa. Por mais que essa seja uma opção, ela gasta mais tempo para ser criada e alimentada e não consegue centralizar todos os dados de maneira estratégica. 

O que seria totalmente diferente se a empresa utilizasse um sistema de gestão financeira, que iria automatizar diversos processos. Assim como existem outros para administração e acompanhamento de tarefas.

8. Negligência da área de marketing

Muitas empresas enxergam o Marketing como uma despesa, mas o marketing bem planejado e aplicado com eficiência é um investimento que garante vendas e novos clientes. 

Para isso, o planejamento é fundamental para a aplicação das estratégias corretamente sem desperdício de dinheiro, que é o principal medo. Um profissional da área pode ajudar nisso. 

9. Negociação com fornecedores

A relação com os fornecedores é muito importante para empresas que ofertam produtos, já que tendo os melhores e mais em conta, a empresa pode oferecer um produto de maior qualidade ofertando por um preço melhor. 

Mas muitos empresários sofrem pela falta de contato com os fornecedores corretos ou pela localização que não é fácil para receber e encontrar fornecedores, por isso é legal analisar as demandas do produto que pretende comercializar. 

10. Período de quarentena

A Pandemia do Novo Coronavírus que até hoje está acontecendo em todo o mundo e afetou a economia brasileira drasticamente, é um dos desafios que os empresários enfrentaram e enfrentam até hoje. 

Primeiro com as portas fechadas pelo período de quarentena obrigatório e hoje pelos investimentos que precisam fazer para adaptar ambientes e formas de trabalho de acordo com as novas regras sanitárias. 

Sem falar nos desfalques financeiros que o tempo fechado causou a muitos, por isso, o foco hoje é buscar reaquecer o mercado e se adaptar às possibilidades atuais de negócio, muitas vezes a busca por crédito pode ser uma chance de ajuda. 

11. Planejamento adequado

Outro ponto que costuma aumentar o desafio de empreender no Brasil é a falta de planejamento dos empresários, podendo ser administrativo ou de planejamento financeiro. Desde a abertura de uma empresa é necessário planejar como o negócio vai funcionar e quais caminhos seguir.

Por isso, o planejamento é o guia para o sucesso de qualquer negócio e consiste no estabelecimento de metas, ações e na mobilização de recursos financeiros ou materiais para atingir determinado objetivo maior, que pode definir o sucesso de um empreendimento ou organização. 

Como vencer os desafios das micro e pequenas empresas?

Agora que você já sabe quais são os 11 principais desafios das micro e pequenas empresas no Brasil, vamos falar sobre como vencer essas questões da maneira mais estratégica e prática possível! 

Além de estabelecer um planejamento para sua empresa e mapear todos os objetivos e demandas dela, você precisa manter uma organização financeira para conseguir investir em todas essas necessidades que ela possui. 

Por isso, usar uma plataforma de gestão financeira que armazene os dados do seu negócio é uma forma de obter informações sobre a saúde financeira do negócio e os dados necessários para saber em quais áreas deve investir ou cortar gastos no momento. 

O financeiro é o coração de uma empresa e para que todas as outras partes se mantenham saudáveis, ele precisa estar em boas condições. Por isso, para enfrentar os desafios é necessário antes de tudo organizar e equilibrar as finanças, ou seja, ter educação financeira para aplicar na rotina do próprio negócio. 

Para te ajudar nessa tarefa de organização financeira, você pode começar agora mesmo a utilizar o Celero Start gratuitamente por um período de teste. É só clicar no banner  a seguir: 

Conclusão

Espero que o conteúdo tenha te ajudado e que você comece a colocar as dicas em prática na realidade da sua micro ou pequena empresa. 

Não esqueça que toda semana você pode conferir conteúdos exclusivos sobre gestão e automação financeira aqui no nosso blog!

Você também pode conhecer mais sobre a Celero aqui!

Isabela de Meneses

Analista de Conteúdo na Celero, graduada em Comunicação Social com Bacharelado em Jornalismo pela UFPI, especialista em Gestão de Marketing pela UP e apaixonada por estratégias de conteúdo digital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Follow Me