4 dicas para melhorar o Fluxo de Caixa da sua empresa

Para muitos empresários e empreendedores a preocupação em melhorar o fluxo de caixa de suas empresas e negócios é constante. 

Pensando nisso, neste artigo, você pode conferir dicas práticas para aplicar na rotina do seu empreendimento, que vão trazer essa melhoria tão almejada. 

Antes de apresentar as dicas, é importante fazer uma revisão sobre o que é o fluxo de caixa e porque ele é tão importante para manter a saúde financeira de qualquer negócio. 

O Fluxo de caixa é um instrumento que mostra o resultado financeiro da sua empresa ou negócio e faz a relação entre tudo o que foi pago, gasto e recebido.

Entendendo o fluxo de caixa:

Essa ferramenta financeira permite que os responsáveis pelo negócio analisem a movimentação financeira da empresa de acordo com o período definido.

Gerando assim um relatório das entradas e saídas de dinheiro da empresa.

Em resumo: no final das contas, é listado todas as entradas e todas as saídas, o saldo inicial.

E o que sobrou de tudo isso depois do exercício do mês ou do período analisado, isso é o que chamamos de fluxo de caixa.

Pode ser dividido em três vertentes:

  • operacional: quando diz respeito a tudo que está relacionado à operação do negócio;
  • financeiro: quando está relacionado ao dinheiro que transitou através de empréstimos, aportes e recebimentos de fontes que não estão relacionadas à operação da empresa;
  • fluxo de caixa de investimento: quando falamos de aportes relacionados aos desenvolvimentos de produtos, por exemplo;

Dicas para melhorar o fluxo de caixa da sua empresa

Agora que você relembrou a definição de fluxo de caixa e como ele funciona na prática, já está preparado para conferir as dicas. 

Então vamos lá!

1- Mantenha o fluxo de caixa atualizado 

De uma forma simples, o Fluxo de Caixa é o espelho das finanças da sua empresa. Isso quer dizer que ele reflete os resultados financeiros, positivos ou negativos. 

Por isso é tão importante mantê-lo atualizado com a maior frequência possível. Essa prática permite que seus negócios se mantenham competitivos no mercado. 

Quando você desenvolve essa prática, se torna possível tomar decisões mais estratégicas em menos tempo e com maior chance de assertividade.

2- Liste e classifique seus gatos 

Essa prática é fundamental justamente para o ponto citado anteriormente, já que para atualizar o fluxo é necessário ter todas as entradas e saídas registradas.

Ao fazer isso, também é importante indicar a origem e a data dessas receitas que você está registrando.

Uma boa forma de identificar as receitas é separando essas receitas em previsto e realizado. 

3- Use um sistema de gestão financeira 

Atualmente, ainda existem gestores e empresários que não confiam na funcionalidade da Inteligência Artificial.

Mesmo ela sendo uma grande aliada para ajudar na gestão financeira das empresas, esse é um erro que você não deve cometer.

A tecnologia facilita a análise de dados financeiros, de maneira segura e evitando erros que os seres humanos poderiam cometer.  

Por exemplo, a automação financeira controla várias operações do departamento financeiro ao mesmo tempo. 

Um exemplo é a emissão de NFs e boletos, agendamento de contas a pagar, conferência das contas a receber e a geração de relatórios confiáveis e em tempo real.

Dessa forma, contar com um parceiro especializado para cuidar das rotinas financeiras pode representar uma enorme liberação de tempo e energia para as atividades mais estratégicas.

Sem falar, que existem no mercado softwares especializados em gestão financeira para pequenas e médias empresas.

Assim, um deles é o Celero, que te permite automatizar toda a gestão financeira do seu negócio, agendar pagamento e ainda ter acesso a relatórios das suas finanças.

4- Não misturar contas pessoais com as da empresa

Pode parecer óbvio, mas esse é o erro mais comum quando se trata de gestão financeira empresarial mal feita.

A princípio, os sócios ou donos do estabelecimento acham normal, ou até mesmo mais fácil, realizar as transações comerciais da empresa no cartão de crédito ou débito pessoal e vice-versa.

Mas com o tempo isso se mostra uma tática mal executada que traz mais dor de cabeça do que qualquer outra coisa já que na hora de fazer o balanço financeiro.

Você não sabe o que foi gasto pessoal e quais foram os gastos para o escritório.

Sendo assim, é difícil saber qual foi o saldo financeiro da empresa na hora de fazer um fechamento anual, por exemplo.

Em resumo, jamais realize um pagamento com finalidade pessoal utilizando o cartão da empresa ou vice-versa.

Conclusão

Agora você já sabe como melhorar o fluxo de caixa da sua empresa com passos simples e práticos. 

Não esqueça que o fluxo de caixa é o que demonstra a saúde do seu negócio e por isso merece atenção. 

Espero que tenha curtido o artigo e não esqueça de compartilhar nas redes sociais e com amigos que precisam aprender mais sobre fluxo de caixa. 

Toda semana você confere conteúdos exclusivos sobre gestão financeira aqui no blog da Celero.

Isabela de Meneses

Analista de Conteúdo na Celero, graduada em Comunicação Social com Bacharelado em Jornalismo pela UFPI, especialista em Gestão de Marketing pela UP e apaixonada por estratégias de conteúdo digital.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Follow Me