O que é fluxo de caixa, quais são os tipos, objetivos e como fazer fluxo de caixa?

O que é fluxo de caixa, quais são os tipos, objetivos e como fazer fluxo de caixa?

Para conhecer a saúde financeira de uma empresa é necessário observar o seu Fluxo de Caixa. Ele apresenta o resultado financeiro do negócio e consegue estabelecer a relação entre tudo o que foi pago e recebido em determinado período. 

No artigo de hoje, você vai entender melhor o que é o fluxo de caixa, quais os seus tipos e como ele pode auxiliar estrategicamente o crescimento e o desenvolvimento do seu empreendimento. 

O que é fluxo de caixa?

De maneira simples, ele é a visão de todas as entradas e saídas previstas, possibilitando identificar pontos de necessidade de capital (falta de dinheiro) ou oportunidades de investimento (sobra de dinheiro).

Assim, o fluxo de caixa permite que os responsáveis pelo negócio analisem a movimentação financeira da empresa de acordo com determinado período definido. Isso permite a geração do relatório das entradas e saídas de dinheiro da empresa.

Para exemplificar, no final das contas, é listado todas as entradas e todas as saídas, o saldo inicial. E o que sobrou de tudo isso depois do exercício do mês ou do período analisado, isso é o que chamamos de fluxo de caixa. 

Quais os tipos de fluxo de caixa?

Fluxo de caixa projetado

Quando falarem em fluxo de caixa projetado, você precisa entender que não estão incluindo valores que foram retirados ou injetados no orçamento do negócio. O seu principal objetivo é prever despesas e receitas futuras da empresa. 

Por isso, a avaliação desse modelo é tão importante, já que com ela, a empresa evita surpresas desagradáveis e inesperadas nas finanças, muitas vezes evitando até mesmo prejuízos  financeiros.

Fluxo de caixa livre

Com esse modelo é possível fazer uma avaliação da capacidade de capital que sua empresa possui para quitar seus compromissos. De forma mais simples, quer dizer que com ele você consegue enxergar quanto de capital é necessário para cumprir com os vencimentos do empreendimento em curto e médio prazo. A ideia é que seja uma projeção do fluxo de caixa para 60 a 90 dias. 

Fluxo de caixa diário

O fluxo diário é como o nome já diz, é a análise de entradas e saídas no caixa da empresa diariamente. Isso ajuda tanto na previsibilidade, como também no controle financeiro. 

Outra vantagem desse fluxo de caixa é que você evita imprevistos, já que sempre está por dentro do que acontece diariamente. Em alguns casos ajuda na implementação de atividades que possam facilitar o alcance de determinado objetivo ao longo do mês, por exemplo. 

Fluxo de caixa descontado

O Fluxo de Caixa Descontado (FCD) funciona como um orçamento, que é utilizado para estabelecer o valor atual de uma empresa, ativo, projeto ou investimento com base no dinheiro que pode ser gerado futuramente. 

Fluxo de caixa simples

Essa modalidade é uma maneira mais rápida de gerenciar o financeiro de um empreendimento. Com ela, é possível controlar as entradas e fazer projeções ao analisar os seus resultados, como também estabelecer uma meta para lucrar mais com o seu negócio.

Fluxo de caixa operacional

Essa modalidade de fluxo de caixa faz o levantamento de todas as despesas e receitas operacionais da empresa dentro de determinado período. Assim, o fluxo de caixa operacional vai contabilizar apenas as movimentações financeiras que são ligadas ao abastecimento ou manutenção, por exemplo, do pagamento de funcionários.

O fluxo operacional envolve apenas gastos essenciais para a execução das tarefas operacionais da empresa. Nesse caso, ele não inclui ou contabiliza, possíveis investimentos, juros ou impostos. Além disso, não ajuda a definir a necessidade de capital de giro para o negócio. 

Fluxo de caixa direto

Esse tipo de fluxo é o mais utilizado pela maioria das empresas. Nele são registrados os pagamentos e recebimentos, sem realizar descontos, o valor bruto é considerado. 

Além disso, nele as movimentações financeiras são classificadas, seguindo a natureza contábil delas. Por exemplo, pagamentos de fornecedores ou recebimentos que vieram de clientes.                                                     

Fluxo de caixa indireto

Nesse caso a análise vai ser feita sobre o lucro e prejuízo da empresa, que são apontados a partir do Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE). No fluxo indireto não é necessário um controle do fluxo, mas sim balanços do início e do final de determinados períodos estabelecidos. 

Esse método possui grandes chances de distorções nos valores, por isso confiar apenas nele para uma análise de fluxo de caixa, não é a opção mais indicada para atuar estrategicamente. 

Qual o objetivo de um fluxo de caixa?

Controle financeiro

De uma forma simples, o Fluxo de Caixa é o espelho das finanças da sua empresa. Isso quer dizer que ele reflete os resultados financeiros, positivos ou negativos. Por isso é tão importante mantê-lo atualizado com a maior frequência possível. 

Essa prática de controle financeiro, permite que seus negócios se mantenham competitivos no mercado e quando ela é desenvolvida, se torna possível tomar decisões mais estratégicas em menos tempo e com maior chance de assertividade.

Previsibilidade

Ele também te permite ter previsibilidade. Isso quer dizer que você consegue visualizar, dentro de um período avaliado, quais são os melhores e piores momentos da empresa. A partir disso, é importante entender os motivos e analisar o que pode ser mudado, como a realização de liquidações ou investimento em campanhas de marketing.

Com essa visão geral, também é possível avaliar a capacidade de pagar contas antecipadamente, garantindo algum tipo de desconto, ou então qual é o seu plano financeiro a curto, médio e longo prazo, antes de assumir qualquer tipo de compromisso.

Qual a diferença entre fluxo de caixa e controle de caixa?

O primeiro passo é entender que controle de caixa registra as movimentações financeiras da empresa, isso quer dizer, o saldo atual. Já o fluxo de caixa, que também faz esse registro, permite que as entradas e saídas de dinheiro sejam previsíveis, o que ajuda no planejamento da empresa.

Como fazer fluxo de caixa?

Alguns empresários ficam preocupados em como fazer esse fluxo, porém é bem simples, você pode fazer o da sua empresa em uma planilha ou utilizando  um sistema de gestão financeira. 

Cabe a você escolher a forma que te deixa mais confortável e o meio que faz mais sentido para o cenário da sua empresa. De qualquer maneira, são recomendados alguns passos para fazer o seu da melhor maneira. Veja:

  1. Verifique qual é o saldo da sua empresa: o ponto de partida é saber qual é o dinheiro disponível;
  2. Liste e classifique todos os seus gastos: uma dica interessante é separar desde o começo entre custos e despesas, fixos e variáveis;
  3. Liste e classifique todas as suas receitas: ou seja, todo o dinheiro que recebeu ou vai receber. Se possível, indique também a origem de cada uma delas;
  4. Identifique todas as movimentações com datas: e, caso seja necessário, separe por “previsto” e “realizado”;
  5. Faça a conciliação bancária: isso significa relacionar todas as informações do planejamento interno com o que realmente aconteceu no banco para garantir que as movimentações estão corretas;
  6. Atualize os lançamentos periodicamente: verifique qual é a melhor frequência para a sua empresa, mas não deixe de atualizar o fluxo de caixa sempre que possível para ter certeza de informações reais;
  7. Faça análises em cima das informações: quais são as origens de receitas mais relevantes ou os gastos que podem ser cortados? Com as informações na mesa, fica mais fácil ter uma visão geral da sua empresa e de tudo o que você pode fazer a partir dos resultados. 

Para te ajudar a fazer seu fluxo, você pode baixar a Planilha de Fluxo de Caixa da Celero

Como ter sucesso na gestão do fluxo de caixa?

O fluxo de caixa te permite acompanhar tudo o que aconteceu durante um período específico nas finanças da empresa. Ele vai garantir que as análises financeiras de médio a longo prazo sejam feitas de maneira coerente, te ajudando na hora de fazer um planejamento financeiro.

Sem falar, que ele te ajuda a saber quais gastos podem ser cortados ou a origem das receitas mais importantes, auxiliando no pensamento empresarial estratégico. Dessa maneira, ele pode ser tanto feito numa planilha de excel, por exemplo, como em um sistema de gestão financeira, o que otimiza o seu tempo. 

Atualmente, ainda existem gestores e empresários que não confiam na funcionalidade da Inteligência Artificial, mesmo ela sendo uma grande aliada para ajudar na gestão financeira das empresas, inclusive no Fluxo de Caixa.

A tecnologia facilita a análise de dados financeiros, de maneira segura e evitando erros que os seres humanos poderiam cometer. Sem falar, que existem no mercado softwares especializados em gestão financeira para pequenas e médias empresas.

Assim, um deles é o Celero, que te permite automatizar toda a gestão financeira do seu negócio, agendar pagamento e ainda ter acesso a relatórios das suas finanças.

O que não fazer no fluxo de caixa?

Não categorizar os lançamentos é um erro muito comum cometido pelas empresas, mesmo essa prática sendo fundamental para realização assertiva do fluxo de caixa.

Quando você cria categorias para as movimentações financeiras do seu caixa, você permite que seja possível identificar onde você gasta mais, ganha mais ou perde dinheiro. Uma boa forma de fazer isso é reservando um para fazer a categorização e a análise do histórico do seu caixa.

Também é importante enfatizar que essas categorias devem fazer sentido com a realidade da sua empresa. Então faça isso separando as entradas e saídas, previstas e realizadas, sem esquecer de indicar a origem e o destino de cada uma.

Por exemplo:

  • impostos
  • encargos trabalhistas
  • gastos extras

Além disso, muitos empresários não atualizam frequentemente o fluxo dos seus negócios, Assim, como já foi citado anteriormente é importante compreender que, ele vai refletir as finanças da sua empresa. 

Quando você desenvolve essa prática de alimentá-lo constantemente, se torna possível tomar decisões mais estratégicas em menos tempo e com maior chance de assertividade.

Conclusão

Agora que você já sabe como fazer e analisar o seu fluxo de caixa de maneira estratégica, que tal colocar as dicas deste artigo em prática? 

Não esqueça que toda semana você pode conferir conteúdo sobre gestão financeira aqui no Blog da Celero. 

Que tal compartilhar esse material com outras pessoas que também precisam saber mais sobre assunto? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *