Pagamento recorrente: O que é e como funciona na prática

Pagamento recorrente: O que é e como funciona na prática

O pagamento recorrente é o tema do artigo de hoje. Além de aprender o que essa modalidade de pagamento significa, você vai aprender como ela funciona na prática. 

Esse modelo de quitação é o tipo de pagamento que mais cresce no mundo atualmente, o que não é diferente aqui no Brasil. 

Uma pesquisa de 2019 da Vindi, empresa de pagamentos recorrentes brasileira, apontou um crescimento significativo no mercado nacional envolvendo recorrência. 

Os dados apontam que o mercado cresceu 38,3% em número de transações e o método de pagamento mais utilizado foi o cartão de crédito (82%), seguido do boleto bancário (17,7%) e débito em conta, cartão de débito e carteira digital (0,03%)

Você deve estar curioso para entender como usufruir do pagamento recorrente na realidade do seu negócio, não é mesmo? 

Então leia este artigo até o final e confira tudo sobre pagamento recorrente e suas vantagens para os empresários. 

Para começar você precisa entender o que é pagamento recorrente. 

O que é Pagamento Recorrente

Você deve entender como pagamento recorrente, a modalidade que é feita nos casos de serviços que são prestados continuamente, por exemplo no caso das assinaturas de serviço, como Netflix

Ou seja, são os pagamentos feitos em mensalidades, 3 meses, 6 meses ou 12 meses, para ficar mais claro como é na prática. 

Isso quer dizer que enquanto o serviço estiver sendo ofertado pela empresa, os pagamento estará sendo efetuado pelo consumidor/cliente. 

Já a questão de quanto tempo esse pagamento vai durar, como citei anteriormente na quantidade de meses, vai ser estabelecida no ato da contratação, o contrato de prestação de serviço deve informar. 

Muitas empresas optam por um prazo mínimo para o cancelamento do serviço e optam por cobrarem uma multa, que também deve constar no contrato, caso o cliente escolha cancelar antes desse período. 

Hoje essa modalidade é muito comum em serviços de streaming, como Spotify, GlogoPlay, Amazon Prime e outros. 

O benefício é enorme para o cliente e para a empresa, pois o contratante não precisa todos os meses cadastrar seu cartão para efetuar o pagamento. 

Isso evita multas, atrasos e a suspensão dos serviços prestados de surpresa, o que é desagradável. 

Agora vamos entender como ele funciona na prática. 

Como definir um pagamento recorrente

O primeiro passo é saber que para ser recorrente esse pagamento precisa ter sido pré-determinado para o cliente receber um produto ou usufruir de um serviço. 

Como citado anteriormente, também é necessário que esse período de tempo seja definido inicialmente, semanas, meses, trimestres ou anualmente, como é comum em serviços de seguro de automóveis. 

Assim, o contratante, atualmente conhecido como assinante, vai registrar os dados dele e a forma de pagamento no ato da contratação. 

Isso mesmo, aquela parte considerada chata por muitos, de digitar o número do cartão e código CVV é feita no ato de contratação apenas. 

As empresas usam sistemas que registram essas informações e lançam a cobrança mensalmente de maneira automática. 

Quando existem casos de problema com a cobrança, por exemplo falta de limite ou bloqueio do cartão, os prestadores de serviço avisam o cliente que pode substituir os dados. 

Essas informações podem causar algumas dúvidas, uma delas é saber qual a diferença dessa modalidade para o parcelamento de uma compra. 

Por isso, a seguir você vai entender melhor o que diferencia essas duas formas de pagamento. 

Aprenda como funciona o pagamento recorrente

Pagamento Recorrente x Pagamento Parcelado 

Para entender a diferença entre os dois, você precisa saber que o pagamento parcelado ocorre quando um valor ou taxa única é dividido em várias vezes. 

Isso é, você compra uma geladeira, recebe o produto e vai continuar pagando por 12 meses, pois dividiu o valor único em 12 parcelas no cartão de crédito ou crediário. 

Como também, o valor dividido pode sofrer o acréscimo de juros, o que costuma ocorrer também em caso de atrasos no pagamento da parcela. 

Já quando o pagamento é recorrente, significa que o serviço oferecido vai ser entregue regularmente e também cobrado regularmente, uma coisa depende da outra para acontecer. 

Caso o serviço não seja fornecido ou entregue, esse assinante pode pedir ajuda aos serviços de defesa do consumidor.

Da mesma forma que a empresa não precisa liberar seus serviços se não receber o pagamento da recorrência. 

Conclusão

Agora que você entendeu como funciona o pagamento recorrente e quais suas vantagens para a empresa e os consumidores, o que acha de buscar colocar essa modalidade em prática na sua empresa? 

Não esqueça que todas as semanas você pode conferir conteúdos inéditos aqui no Blog da Celero

Deixe sua opinião nos comentários e compartilhe este artigo nas redes sociais para que mais pessoas aprendam sobre pagamento recorrente.

Banner ilustrativo para agendar horário com a Celero
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *