Como conseguir Capital de Giro para sua empresa de forma prática

Como conseguir Capital de Giro para sua empresa de forma prática

Como conseguir capital de giro costuma ser a dúvida de muitos novos empresários e empreendedores brasileiros. 

Pensando nisso, no artigo de hoje, você vai conferir algumas dicas e explicações sobre capital de giro, que podem te ajudar nessa conquista. 

O primeiro passo é entender o que é capital de giro de maneira detalhada e educativa e essa explicação vale mesmo para quem já sabe o que esse termo financeiro significa. 

Dessa forma, o capital de giro é uma reserva financeira que toda empresa ou empreendimento deve ter guardada para a manutenção do negócio. 

Essa quantia vai servir para pagar contas, comprar equipamentos ou até mesmo inovar em algum setor da empresa. 

Sem falar que qualquer custo extra que a empresa tenha, o capital de giro que deve bancar. 

Ficou claro agora? Imagino que sim! 

Então vamos para a parte mais estratégica? 

Como calcular o capital de giro da sua empresa

O capital de giro líquido sofre influência de várias variáveis, como custo e volume de vendas, prazos de estocagem, parcelamento de compras, entre outros.

Para calcular o capital de giro é importante que você tenha um fluxo de caixa detalhado e transparente e que tenha conhecimento dos resultados da sua empresa. Sendo assim, a fórmula fica bem simples:

Capital de giro = AC – PC, sendo AC = ativo circulante (contas a receber, aplicações financeiras, banco, caixa e outros recursos) e PC = passivo circulante (contas a pagar, empréstimos, fornecedores).

É muito importante que você ou que a pessoa responsável pelo departamento financeiro da sua empresa faça esse cálculo com frequência.

Assim, você consegue garantir que sua empresa não tenha surpresas desagradáveis que podem causar um furo nos resultados.

Para fazer esse calculo de maneira mais simples, a Celero te ajuda: 

Dicas para conseguir capital de giro

1- Renegocie dívidas

Você pode estranhar que essa seja uma dica para conquistar capital de giro, mas não se preocupe, a ideia não é que a renegociação gere capital de giro, mas que te ajude a alcançá-lo. 

Nesse caso, você vai buscar encaixar o valor das dívidas e parcelas que possui em aberto, dentro da atual realidade financeira da sua empresa.

Isso quer dizer que você deve fazer um planejamento financeiro para os próximos meses, incluindo o pagamentos dessas dívidas e parcelas. 

Até porque a ideia é que você consiga renegociar as dívidas para valores e parcelas que tornem possíveis que o combinado seja pago. 

2- Aporte dos sócios 

Empreender não é uma tarefa fácil, ainda mais no atual cenário brasileiro, não é mesmo? 

Você também sabe que nem sempre é possível guardar dinheiro, mas caso você e outros sócios tenham poupança ou economias guardadas, essa pode ser uma boa fonte para o capital de giro da sua empresa. 

Não quer dizer que você e os outros sócios precisam investir todas as economias de vocês, de forma alguma. 

Mas cada um disponibilizando um valor torna o alcance desse capital mais fácil, tanto nos casos de abrir um negócio, como para momentos de crise do empreendimento. 

Sem falar na vantagem de não bancar juros pegando empréstimo em bancos tradicionais, que infelizmente costumam ser bem altos. 

3- Antecipar recebíveis 

Essa opção pode ser muito útil e ela significa que você deve tentar antecipar o pagamento de um ou mais clientes, que só seriam feitos em meses seguintes. 

Isso não significa que você vai cobrar diretamente dos seus clientes, mas sim que você pode buscar instituições financeiras que fazem essa antecipação. 

Nessas instituições você consegue antecipar esses recebíveis e receber o valor do boleto, vendas em cartão de crédito e até mesmo cheque. 

Na maioria o valor é liberado quase na hora e as taxas variam de 3% a 12% a.m. Mas é importante lembrar que essa prática não deve ser recorrente ou se tornar um hábito. 

Como também é importante analisar se lá na frente essa quantia antecipada não fará falta, por isso tudo precisa ser planejado estrategicamente. 

4- Empréstimo bancário PJ 

Essa é uma das opções mais utilizadas entre os empresários brasileiros atualmente 

quando se perguntam como conseguir capital de giro. 

Mas, antes de optar por contratar um empréstimo para pessoa jurídica com um banco, é importante fazer uma pesquisa entre as instituições. 

Ao fazer isso, você deve comparar as taxas de juros, multas e o custo efetivo total do empréstimo. 

Quando você faz isso, você garante que realizou o melhor negócio possível e com as menores taxas.

Mas, como já comentei anteriormente, faça com planejamento, para que as parcelas estejam dentro do orçamento da empresa. 

Por hoje é isso! Deixe sua opinião nos comentários e não esqueça de compartilhar esse conteúdo nas redes sociais. 

Todas as semanas você confere conteúdos exclusivos aqui no blog da Celero Automação Financeira.

Banner ilustrativo para agendar horário com a Celero
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *