BNDES anuncia medidas para combater a crise financeira no país!

Descubra neste artigo as medidas que o BNDES tomou para combater a crise financeira causada pela pandemia do Covid-19.

Em primeiro lugar aconteceu uma videoconferência com o Presidente da República Jair Bolsonaro e o Presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social onde foi anunciado neste domingo dia 22 de março de 2020 a liberação de R$55 Bilhões.

Assim como o anúncio realizado pelo ministro da economia na semana passada, o objetivo é diminuir os impactos da crise financeira causada pelo COVID-19 na economia brasileira.

O montante representa a maior iniciativa da história do BNDES. Para se ter uma ideia, o total é equivalente a 100% do valor liberado pelo BNDES no ano total 2019.

As medidas são:

1) Transferência de recursos do Fundo PIS-PASEP para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), no valor de R$ 20 bilhões;

Conforme anunciado, no dia 5 de fevereiro o BNDES vendeu 22 bilhões de reais em ações da Petrobras, essa liquidação de ativo teve como objetivo capitalizar o banco, direcionando os recursos do PIS/PASEP para o FGTS.

Nesse sentido a disponibilização para os saques devem ser apresentadas nas próximas semanas, sendo geridos pelo ministério da economia.

2) Suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos diretos para empresas no valor de R$ 19 bilhões;

Antes de tudo, empresas que têm crédito direto com o BNDES e que tenham situação cadastral estável (não estão em falência, recuperação judicial ou com operações sindicalizadas com debêntures) já estão com a linha pré-aprovada.

Basta entrar em contato com o BNDES e solicitar a liberação.

São 6 meses sem pagar juros e o principal: o valor será capitalizado nas demais parcelas das operações.

3) Suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos indiretos para empresas no valor de R$ 11 bilhões;

Semelhante a linha anterior, mas para operações indiretas do banco de operações realizadas por PME`s através de bancos e agente financeiros.

Também serão 6 meses sem pagar juros e o principal: o valor será capitalizado nas demais parcelas das operações.

O objetivo é aliviar o caixa de pequenas e médias empresas brasileiras.

4) Ampliação do crédito para micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) por meio dos bancos parceiros no valor de R$ 5 bilhões.

Até 24 meses de carência para pagamento da primeira parcela para utilização de crédito para capital de giro.

Sendo pago em até 5 anos com limite de até 70 milhões de reais por operação.

De acordo com o presidente do BNDES, estas foram as primeiras de uma série de ações que serão anunciadas nas próximas semanas.

“Tão logo o banco tenha segurança operacional para lançar novos produtos, viremos a público fazer isso”, disse Montezano.

As medidas devem perdurar o prazo em que a economia esteja em risco por conta da pandemia.

Ainda sim deveremos ter medidas direcionadas para setores em específicos como companhias aéreas, bares e restaurantes e hotelaria.

Você pode assistir o pronunciamento na íntegra através do vídeo abaixo.

E não deixe de ficar de olho no nosso blog, a produção de conteúdo sobre como manter a gestão financeira da sua empresa durante a pandemia não para.

Assim como os outros artigos, esse material também é gratuito, então, não deixe de compartilhar nas suas redes sociais.

Até o próximo artigo.

João Augusto Betenheuzer,
CFO da Celero

Celero

A Celero é uma empresa que ajuda pequenos & médios empreendedores a descomplicar a rotina do setor financeiro empresarial através de um software para gestão financeira fácil de usar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Follow Me