5 maiores bancos do país anunciam medidas emergenciais

OS 5 MAIORES BANCOS DO PAÍS ANUNCIAM MEDIDAS PARA AJUDAR A AMENIZAR A CRISE ECONÔMICA

Conforme nota publicada pela FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos) os 5 maiores bancos do país anunciam medidas para amenizar os efeitos negativos do COVID-19.

Conheça as medidas dos maiores bancos nacionais

A princípio Santander, Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa irão prorrogar em até 60 dias o vencimento de dívidas. Válidos para contratos em vigência e com pagamentos em dia.

Primeiramente, orientamos que caso tenha empréstimos e financiamentos com qualquer um destes bancos, procure seu gerente para verificar a proposta.

O capital destas parcelas pode te ajudar a manter o salários de seus empregados em dia.

O pedido pode ser feito pelos canais de atendimento online e telefone (além da agência, mas a ideia é evitar aglomerações então, procurem os meios digitais!)

Para acessar detalhes sobre esta medida consulte este link.

O Banco do Brasil aumentou as linhas de crédito em mais de 100 bilhões de reais

Antes de mais nada, em comunicado, o banco afirmou que 24 bilhões de reais são destinados a pessoas físicas, 48 bilhões são para empresas, 25 bilhões para o agronegócio e 3 bilhões para prefeituras e governos estaduais.

Podendo suprir desta forma necessidade de todos os atores da economia brasileira.

  • Pessoa Física – Recursos destinados para os mais de 13 milhões de clientes de crédito consignado, crédito salário e crédito automático.
  • Pessoa Jurídica – Linhas de capital de giro, investimento e antecipação de recebíveis.
  • Agronegócio – Serão 5 bilhões de reais para linhas de comercialização, 15 bilhões para financiamento à produção agropecuária, 2 bilhões para investimento e 3 bilhões para capital de giro.

A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL também anunciou medidas extras

A primeira vista o programa “Caixa com Você” lançou diversas medidas com foco em PJ e PF para atenuar este momento, você pode consultar mais informações clicando aqui.

As que impactam diretamente empresas são:

  • Redução de juros de até 45% nas linhas de capital de giro, com taxas a partir de 0,57% ao mês;
  • Disponibilização de carência de até 60 dias nas operações parceladas de capital de giro e renegociação;
  • Disponibilização de linhas de crédito especiais, com até seis meses de carência, para empresas que atuam nos setores de comércio e prestação de serviços, mais afetadas pelo momento atual;
  • Linhas de aquisição de máquinas e equipamentos, com taxas reduzidas e até 60 meses para pagamento;

Santander, Itaú e Bradesco devem anunciar novas medidas nos próximos dias, principalmente no que tange a baixa nas taxas de juros voltados a capital de giro, acompanhando baixa da taxa base pelo COPOM.

A princípio, o COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central) reduziu a taxa de juros econômica brasileira de 4,25% para 3,75% ao ano.

É o menor patamar desde 1999. A decisão do comitê segue o exemplo de outros Bancos Centrais do mundo (Estados Unidos e Inglaterra).

Portanto, caso pretenda/precise investir, segure por mais alguns dias para avaliar as condições que serão propostas.

Se precisa de capital de giro, análise as condições ofertadas pelas instituições financeiras, corte gastos secundários e foque no crucial para sua empresa funcionar.

Confira também as medidas empregadas pelo governo federal clicando neste link.

Por fim todos os materiais que estamos disponibilizando sobre o assunto neste blog são gratuitos, fique a vontade para compartilhar.

JOÃO AUGUSTO BETENHEUZER
CFO – CELERO

P.S.: Os links mencionados neste artigo também podem ser acessados logo abaixo:

  • https://portal.febraban.org.br/noticia/3421/pt-br/
  • http://www.caixa.gov.br/caixacomvoce/Paginas/default.aspx

Celero

A Celero é uma empresa que ajuda pequenos & médios empreendedores a descomplicar a rotina do setor financeiro empresarial através de um software para gestão financeira fácil de usar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Follow Me