[COVID19] Por que as PMEs não estão conseguindo acessar as linhas de crédito ofertadas pelo governo?

Por que as PMEs não estão conseguindo ter acesso às linhas de crédito oferecidas pelo governo para combater o impacto do COVID-19 na economia?

A resposta parece muito simples. Desde de sempre, em diversos lugares no mundo, as propostas políticas e econômicas acabam não acontecendo conforme o que foi oferecido. Mas não é bem assim.

Este texto não tem como objetivo tratar de questões políticas ou dizer que uma orientação está certa e a outra errada.

Mas identificar o porquê a grande maioria das PMEs que tanto precisam de ajuda financeira até o momento não conseguiram ter acesso aos bilhões de reais oferecidos em créditos emergenciais pelo governo federal e pelos governos estaduais para apoiar o empreendedorismo neste momento de dificuldade.

Consulte aqui as principais medidas clicando neste link.

Antes de listar os MOTIVOS que impedem o alcance a esse recurso, é importante compartilhar o que temos ouvido nestes 6 anos dos pequenos e médios empresários com quem conversamos.

Nós sempre buscamos entender suas dores e assim trabalhar para ajudar nas rotinas dos seus setores financeiros e eles nos apresentam alguns culpados pelos problemas financeiros das empresas.

Os culpados por não receberem as linhas de crédito
Existem culpados para as linhas de crédito não saírem?

OS CULPADOS (escolhidos para levar a culpa)

“A culpa é do governo, que não ajuda e ainda fica com uma fatia do faturamento que das falta.”

“A culpa é do mercado, tá muito concorrido e os concorrentes vendem a um preço muito baixo. Não dá pra competir.”

“A culpa é do banco que só quer o meu dinheiro, e me cobra uma fortuna em taxas e não me ajuda quando eu preciso sempre com muita burocracia.”

Você também já culpou um dos 3? Reflita sobre isso e não se sinta mal sobre isso.

Afinal o nosso sistema tributário poderia ser mais simples e ofertar mais apoio aos negócios, os bancos poderiam ser mais descomplicados e oferecer taxas menores e o mercado deveria ser mais aberto e mais justo com os pequenos empreendedores.

Mas a partir do momento que você decide empreender, mesmo que por necessidade, você precisa assumir a culpa pela falta de gestão do seu negócio. Enfrentar milhares de desafios todos os dias faz parte da vida do empreendedor.

A empresa é sua, portanto, a responsabilidade também. É importante que você saiba que as suas decisões vão ter impactos uma hora ou outra.

Agora, vamos aos motivos que fazem que até o dia 18/05/2020 apenas 4% do crédito chegou após quase 2 meses do anúncio.

A informalidade afeta pode ser um problema
O problema da informalidade

1 – A Informalidade

Linhas de crédito tem um objetivo, destino ou um motivo para serem utilizados.

Você não pode emprestar dinheiro porque você simplesmente “precisa”, você tem que ter um plano para esse dinheiro.

O que está sendo oferecido são linhas de crédito, logo, alguns pontos precisam ser respeitados:

Não tem como ter acesso a uma linha de crédito para empresas sem ter cnpj

Por mais que tenha nome, estabelecimento e até funcionário – sem CNPJ a empresa não existe. Então não tem acesso. Boa parte de quem procurou pelas linhas de crédito para empresas não têm nem MEI constituído.

Não tem como ter acesso ao financiamento de folha de pagamento se seus funcionários não são registrados e se você não tem conta em um banco conveniado com o BNDES.

O registro em carteira é o melhor caminho para qualquer empresa que queira contratar qualquer pessoa. O pagamento sempre deve ser feito via banco para garantir o controle e para a segurança da empresa e do colaborador.

Os bancos são obrigados pelo Banco Central do Brasil a oferecer a conta salário sem custos algum para o colaborador e também não devem ter custos para a empresa também.

Ou seja, a empresa precisa ter conta de pessoa jurídica e os funcionários registrados com conta como pessoa física. O produto de folha de pagamento é oferecido pelos bancos.

Para ter mais informações sobre a linha de crédito do BACEN clique neste link.

Outro ponto relevante é que não adianta registrar todo mundo agora apenas para ter acesso a linha de crédito. Você não tem histórico de funcionários e o valor liberado vai variar de acordo com o seu histórico.

Não tem como financiar capital de giro sem o faturamento declarado (nota emitida) compatível com o que você está pedindo

Antes de mais nada, leia este artigo sobre capital de giro para ter certeza que você sabe do que se trata.

O Capital de Giro é o dinheiro que a empresa precisa manter em caixa para se manter enquanto não recebe pelas vendas.

Quem vai te emprestar dinheiro precisa saber seu faturamento médio e ele não vai levar em consideração o seu caderno de anotações ou então os seus controles gerenciais.

Ele vai avaliar sua declaração de vendas (baseado nas notas que você emitiu), sua movimentação na conta PJ e nas maquinetas de cartão conveniadas a ele e o seu nome na praça.

Não é possível fazer um financiamento para expansão e melhorias sem garantias

Pare para pensar, tá todo mundo fechando, você quer expandir.

Se não tem nada no nome da empresa, se até a máquina de cartão está no CPF de uma pessoa, como vão te liberar o crédito? Quem empresta dinheiro olha para isso.

Infelizmente não existe um dado oficial sobre atualização cadastral de dados de resultados financeiros de clientes e as informações financeiras das empresas estão em sua maioria desatualizadas.

Não acredita?

Então por que toda vez que você precisa de um crédito, não agora na pandemia, mas sempre, pedem para você o balanço financeiro, o demonstrativo de resultado, imposto de renda dos sócios e outros documentos para submeterem a sua solicitação para aprovação?

Se você mandasse todos os meses, sem precisar, a sua parte já estaria feita não é?

“Mas eu não tenho as informações o contador demora muito pra fazer …”, aí vamos para segundo motivo de você não conseguir ter acesso ao crédito emergencial.

A desorganização para liberar as linhas de crédito
Uma das maiores características dos empreendedores brasileiros: desorganização

2 – Desorganização dificulta a solicitação de linhas de crédito

Dentro da lista das características do pequeno e médio empreendedor brasileiro temos referências como a persistência, a criatividade e paixão por correr riscos.

Mas tem uma da grande maioria que tem uma característica que não assume: que é ser desorganizado.

E não é de propósito, ninguém gosta de viver em uma bagunça. Mas não é fácil arrumar tempo pra cuidar de clientes, fornecedores, funcionários, estrutura, produto, entrega e do financeiro.

O “financeiro” foi o último a ser citado porque, normalmente, só se arruma tempo pra ele quando dá e vira prioridade quando já é tarde demais.

O acúmulo de tarefas e a rotina do empreendedor não permite que durante as 18 horas (sim, dezoito) trabalhadas no dia ele se dedique a gestão financeira do negócio, organize seus números com a contabilidade e mantenha as informações atualizadas com o banco caso precise de crédito.

Concorda que se você não sabe o quanto está devendo na praça, como vai reclamar se seu crédito for negado ou reduzido por históricos de inadimplência?

É óbvio que olhar para os números de forma organizada te ajuda a tomar decisão do jeito certo e é aqui que encontramos uma das chaves para gestão de qualquer negócio – tomar decisão baseada em dados confiáveis.

Como por exemplo: quanto eu preciso de dinheiro para me manter nos próximos 90 dias e como eu posso pagar por isso.

3 – Falta de educação financeira é a raiz do problema

Vivemos em um país de analfabetos financeiros. É uma frase forte, mas que remete uma realidade histórica e cultural brasileira que precisa mudar.

Momentos de crise como o de agora chamam a atenção de pessoas para textos como esse e despertam o interesse para um assunto que devíamos aprender desde crianças.

Mais da metade da população brasileira já estava endividada antes da pandemia e esse número deve aumentar. É lógico que se como pessoa física não se tem controle e gestão, o mesmo vai acontecer como pessoa jurídica.

Há 6 anos, todos os dias nós perguntamos para milhares de empresários de vários segmentos : o que é gestão financeira?

O conteúdo das respostas é variado. Mas apenas 14% traz respostas aceitáveis para questão. 86% não sabe o que é gestão financeira.

Ninguém abriu um negócio sonhando em fazer a gestão financeira dele

A grande maioria nunca estudou nada sobre isso na vida, cursos superiores também não têm direcionamento focada para a área de finanças – se tem uma matéria, é muito – passam de forma rápida e incompleta ao que seria necessário para gestão (pelo menos na teoria) de um negócio.

Médicos, engenheiros, advogados, arquitetos, corretores de seguros, comerciantes, cozinheiros, mecânicos , construtores, publicitários, jornalistas: a partir do momento que são donos de um cnpj, vocês são empresários.

E precisam aceitar que a gestão financeira tem de fazer parte de sua rotina.

Agora sim, podemos buscar 300 outros pontos que prejudicam o nosso acesso ao crédito.

A demora nos processos de análise, a burocracia da papelada a ser levantada, a falta de integração entre sistemas do governo e instituições financeiras. Devemos sim buscar e brigar por melhorias para o sistema como um todo.

O que muitos estão procurando não são linhas de crédito, são linhas de auxílio. E isso são outros projetos que devem e precisam acontecer o quanto antes.

Até lá o melhor a ser feito é se organizar, montar um bom plano de contingência e se profissionalizar na gestão do seu negócio.

E o mais importante de tudo: saber que suas ações terão efeitos futuro. O corona está prejudicando os negócios sim, sem sombra de dúvidas. Mas o impacto financeiro maior vem de ações anteriores a pandemia, reflexo de omissões a gestão e do desconhecimento financeiro.

Isso vai passar, mas precisamos nos preparar para o que vem pela frente.

Celero

A Celero é uma empresa que ajuda pequenos & médios empreendedores a descomplicar a rotina do setor financeiro empresarial através de um software para gestão financeira fácil de usar.

3 Comments

  1. Cândida Galgânea de Araújo Santana Reply

    Bom dia João Algusto e a todos da equipe! Parabenizo vocês, pela linguagem explicativa em seus materiais 👏👏👏👏🙏parece mentira,mas até que enfim encontrei uma linguagem financeira, com a qual eu não desistisse de continuar a ler🤦🤦 geralmente é o que acontece!! Ainda vou olhar as planilhas que baixei ! Mas eu gostaria de saber se vocês trabalham com a gestão de uma pequenina empresa 🙋 eu sou minha empresa!!! Mas confesso que já fiquei rica, e atualmente já estou quase pobre!kkkkkkkk desculpa a risada.Mas gostei muito dos seus posts.A minha história é gigante 🙏 vou te enviar um e-mail 🙋 muito obrigada pelos assuntos disponíveis! Que DEUS proteja a todos nós 🌷

    1. Ana Augusta Reply

      Oi Cândida, que bom que você gostou do artigo e achou ele fácil de ler, se você não conseguir falar com o João, acesse o nosso site, o celero.com.br e fale com o pessoal pelo chat que está disponível nele, tá bom? Faremos o possível para te ajudar.

      Boa semana 😉

  2. João Augusto Betenheuzer - CFO Reply

    Oi Cândida tudo bem? que bom que gostou. Espero que possamos falar em breve, fiquei curioso em conhecer sua história.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Follow Me