Conheça boas práticas financeiras para ter um ano diferente na sua empresa

O ano já começou, mas ainda dá tempo de conhecer as boas práticas financeiras e traçar um planejamento estratégico para o seu negócio a fim de obter ainda mais rentabilidade e evitar surpresas desnecessárias lá em dezembro.

Primeiramente, nós estamos aqui para te ajudar neste processo. Este é só o início de uma série de conteúdos sobre o assunto.

8 boas práticas financeiras indispensáveis

Durante os próximos meses, vamos detalhar cada um dos 8 boas práticas financeiras para construir um planejamento financeiro eficiente e trazer mais algumas informações importantes para sua empresa ter ainda mais sucesso. Confira:

Conhecer os impostos é melhor do que ignorá-los

A primeira boa prática financeira que não pode faltar

É mais do que essencial entender quais impostos podem impactar o seu negócio, afinal, estamos em um país que tem suas regras tributárias, as quais precisam ser seguidas rigorosamente. Se uma empresa não é lucrativa pagando os impostos de forma correta, provavelmente será necessário buscar uma alternativa no modelo de negócio para torná-la viável.

13º programado

Sim, estamos falando sobre ele no começo do ano! Isso porque, cada vez mais, as empresas costumam se apertar para pagar o 13º salário, mesmo que ele seja totalmente previsível e isso não está entre as boas práticas financeiras. Isso significa que é possível fazer previsões ao longo do ano e organizar a sua empresa para que não seja necessário fazer um empréstimo lá no final – o que pode acarretar em uma dívida de longo prazo.

Mas como fazer essas previsões? Surpreendentemente, nós temos uma calculadora que te ajuda a planejar o quanto deve economizar todos os meses para pagar o 13º salário sem entrar no vermelho. É só clicar aqui!

Controle os custos variáveis

Eles estão entre as boas práticas financeiras e são eles que determinam o quanto de margem temos para cobrir todas as outras despesas de uma empresa. Em princípio, o próprio lucro de um negócio está ligado a como os custos variáveis são aplicados.

Por isso, compreender a diferença entre custos fixos, custos variáveis e despesas é tão importante. Vamos falar mais sobre isso nos próximos textos do blog, mas vai aí um spoiler:

Custos fixos: gastos ligados ao produto final que fazem parte da estrutura do negócio e permanecem constantes independentemente do que for produzido ou vendido. 

Custos variáveis: gastos ligados ao produto final que variam diretamente com a quantidade produzida ou vendida.

Despesas: gastos relacionados à administração da empresa, como áreas comerciais e financeiras.

Recursos humanos necessários

É importante entender quais são os principais pontos e qual é a equipe mínima necessária para tornar a empresa mais rentável, considerando a qualidade da entrega dos produtos ou serviços prestados.

Leia também: Retenção de talentos: 5 medidas para implementar e evitar prejuízos.

Cronograma de contas a pagar e a receber

O famoso fluxo de caixa! Ele é muito importante para entender os momentos de alta e de baixa, e a quantidade de dinheiro que é necessário para operar o negócio.

Marketing é investimento!

A maioria dos empreendedores acredita que a área de marketing é uma despesa, mas na verdade, em um momento de crise, é a área que deve receber ainda mais investimentos. Isso porque é ela que vai ajudar a trazer mais clientes e, consequentemente, mais vendas. Tecnicamente, o marketing é uma despesa, mas não duvide que, conceitualmente falando, é um investimento.

Investir ou não? Eis a questão

Para entender quais áreas da empresa merecem investimento, é preciso avaliar a capacidade que elas têm de tornar a empresa cada vez maior e mais rentável. Uma boa dica é considerar os pacotes de investimento como planejamentos de projetos, os quais devem ter um cronograma – de começo, meio e fim –, KPIs que indicam as expectativas de retorno, e definir se eles vão virar de fato um investimento corriqueiro.

Assista: Dicas práticas para melhorar a Saúde Financeira da sua empresa.

Tecnologia é a mola propulsora de qualquer negócio

Independentemente de qual segmento é a sua empresa, a tecnologia virou uma necessidade para que seja possível se manter competitivo no mercado. É preciso sim investir em tecnologia, mas isso não significa ter uma tecnologia prioritária, ou seja, que você desenvolva dentro do próprio negócio.

Pronto para fazer a diferença no planejamento financeiro do seu negócio? Continue acompanhando nossos conteúdos e conte conosco para garantir que sua empresa continue crescendo.

Para ajudar você estruturar o financeiro da sua empresa, confira nosso Checklist de Planejamento Financeiro!

Sobre a Celero

A Celero é uma plataforma de automação financeira que oferece os recursos de um sistema de gestão de alta tecnologia e a capacidade técnica de especialistas da área financeira que acompanham as rotinas diárias de seu negócio. Oferecemos tempo para que o empreendedor se dedique a atividade chave do negócio e dados para auxiliar a construir a melhor estratégia possível para empresa. Clique aqui e descubra como otimizar o tempo que você gasta com a gestão financeira empresarial.


João Tosin
CEO – Chief Executive Officer na Celero
É administrador, financista, empreendedor e apaixonado por PME’s. Quer revolucionar o jeito que empresários gerenciam as finanças de suas empresas.

Celero

A Celero é uma empresa que ajuda pequenos & médios empreendedores a descomplicar a rotina do setor financeiro empresarial através de um software para gestão financeira fácil de usar.

Follow Me